Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Anathema

"Todos elogiam o sonho, que é o descansar da vida. Mas é o contrário, Doutor. A gente precisa do viver para descansar dos sonhos"

"Todos elogiam o sonho, que é o descansar da vida. Mas é o contrário, Doutor. A gente precisa do viver para descansar dos sonhos"

...

Junho 24, 2022

Anathema

 

 

"- Já reparou naquilo a que chamo a agonia do trabalho? Toda a nossa vida gira em função do trabalho. Quando se pergunta a alguém o que é, nunca temos a resposta: sou homem ou sou mulher. Diz-se: sou engenheiro, electricista, médico. Só se é gente em referência ao trabalho. Um desempregado sente-se um pária e, todavia, ele é gente, a coisa mais extraordinária que se pode ser. Espero que as máquinas venham restituir às pessoas, aliviando-as do trabalho, a capacidade criativa, aquilo que nelas se oculta. Mas a transição parece-me estar a ser difícil porque as pessoas demoram muito tempo a render-se ao novo. Exigem provas seguras, entram com cautela no desconhecido."
 
- Agostinho da Silva, AGOSTINHO, ENSINE-NOS (Entrevista a Lurdes Féria), 1986, in DISPERSOS, Instituto de Cultura e Língua Portuguesa, 1988, p. 113.

...

Junho 23, 2022

Anathema

 

"Estamos tão entretidos em sobreviver que nos consumimos no presente imediato. Para uma grande maioria, o porvir tornou-se um luxo. Fazer planos a longo prazo é uma ousadia a que a grande maioria foi perdendo direito. Fomos exilados não de um lugar. Fomos exilados da atualidade. E por inerência, fomos expulsos do futuro." - Mia Couto

...

Junho 23, 2022

Anathema

 

Muitas vezes, nem temos tempo para perceber, que as coisas acontecem em segundos.
Num ápice tudo muda. Estamos vivos, estamos mortos, mas o mundo continua.
Somos tão finos quanto uma folha de papel vivendo sempre nos limites.
E o factor tempo é bom e mau, mas nada podemos fazer a esse respeito.
Mesmo que nos sentemos no topo de uma montanha, por décadas meditando, ainda assim nada mudará.
Poderemos mudar-nos a nós mesmos, mas, talvez, até isso esteja errado.
Talvez pensemos demais.
Então, talvez seja melhor ouvir mais e pensar menos.
 
Carlos Bukowski -

...

Junho 22, 2022

Anathema

...

Junho 21, 2022

Anathema

...

Junho 20, 2022

Anathema

 

De vez em quando, revemos as nossas vidas e paramos para pensar nas escolhas que fizemos até ao momento.
Fica sempre a pergunta:
se o tempo voltasse, eu faria outras escolhas? Teria tomado outro caminho? Ou será que "não somos donos, mas simples convidados?"
 
Mia Couto

...

Junho 20, 2022

Anathema

 

Muitas pessoas dizem que nos devemos pôr a nós próprios sempre em primeiro lugar, porque só assim conseguiremos fazer felizes os outros ou ser felizes. Não sei onde aprenderam isto, mas provavelmente ouviram-no a alguém ou leram em qualquer parte.
E eu fico a pensar para mim, que muitas pessoas não entendem o significado daquilo que ouvem, leem ou veem e é isso que as leva a fazer tantas más escolhas e tantas burradas na vida.
A minha liberdade não tem nada a ver com eu magoar os outros.
A minha liberdade nunca pode ser de tal modo egoísta que magoe alguém, não, eu tenho de pensar nos outros como penso em mim própria. Eu tenho de saber pôr-me no lugar dos outros.
Eu nunca seria feliz se me pusesse sempre em primeiro lugar. Não me ponho.
Eu só posso ser feliz se os outros à minha volta também o forem.
Eu não sou capaz de estar a comer e ver alguém com fome a olhar para mim, eu não sou capaz de comprar mais uns sapatos para mim e ver alguém descalço ou com os sapatos rotos.
Eu prefiro ajudar os outros ou fazê-los felizes do que comprar mais alguma coisa para mim.
Eu seria incapaz de magoar as pessoas que amo por causa dos meus desejos ou vontades, não, eu não me ponho em primeiro lugar, porque isso seria egoísmo e eu nunca fui egoísta.
A autoestima não tem nada a ver com o egoísmo.
Gostar de mim? Gosto muito. Gosto mesmo muito de mim, exatamente como sou e é por isso que ponho os outros ao mesmo nível que me ponho a mim própria, porque eu respeito aquilo que sou, eu respeito a minha essência.
 
Ana Silvestre
 
 
 
 
 

...

Junho 20, 2022

Anathema

...

Junho 20, 2022

Anathema

 

Tu não deves sentir-te envergonhado ou culpado por teres bens materiais, se os tens é porque provavelmente os mereces e trabalhaste para os ter. Deves sentir orgulho em ti, naquilo que conseguiste com o teu esforço.
O que tu não deves é deixar que aquilo que tens te defina ou te mantenha refém de uma imagem.
Deves desfrutar das coisas e não amá-las. As coisas que conseguimos ao longo da vida, os bens materiais são para ser desfrutados e para as partilhar com os que amamos e com quem nos apetece. É bom ter dinheiro para convidar pessoas para virem a nossa casa, para viajar, para comprar coisas bonitas, para oferecer aquilo que queremos aos outros.
Não é mau ou vergonhoso ter dinheiro, o que é mau é o dinheiro tornar-te snob, irritante, egoísta, desconfiado, mesquinho ou desmesuradamente ambicioso.
Desfruta, consciente de que são apenas coisas. Sê generoso com quem não tem.
Agradece pelo que tens e lembra-te de quem não tem.
 

...

Junho 19, 2022

Anathema

 

O PESCOÇO DOIA MUITO.
Aí eu parei de usar roupas apertadas, troquei de cadeira, comprei cintas ortopédicas, fiz yoga, pilates, fui com quiropraxistas e médicos de todos os tipos, mas a dor continuava, peso, carga, incômodo que não me deixava nem dormir e Às vezes, até me custava respirar...
E então? O que você fez?
Uma sábia mulher... me disse que era porque carregava demais há muito tempo.
Como é que ela sabia disso?
Só de olhar para minha coluna tensa e comprimida, só de sentir com seu toque de mãos velhas e enxadas minha pele nua ela soube...
E então? O que ela te disse?
Disse... Tantas pressões carregou com os anos, tanta dor e rancor que perdeu a conta, carrega o peso do mundo próprio e do alheio...
E aí, então eu expirei todo o fôlego que eu estava retendo há mais de duas décadas...
Ela disse-te como te curar?
Ela segurou minhas mãos nas suas, nessas mãos de idosa, me fez baixar as mãos, soltar os ombros, me levantou o queixo e se encostou atrás de mim.
Seus lábios rasparam meu ouvido e suavemente me disse:
′′ Nem tudo é culpa sua ′′
′′ Nem tudo é sua responsabilidade ′′
′′ Você não pode fazer tudo ′′
′′ Você não pode resolver tudo ′′
′′ Você não precisa aceitar tudo ′′
E meus olhos começaram a soltar lágrimas grossas como cristais quebrados, houve um momento onde eu pensei que choraria sangue, de tanta dor que estava sentindo.
Pouco a pouco meus ombros voltaram ao seu lugar, meu pescoço ficou macio e levantou novamente, minhas costas se irguiram como há anos não acontecia e ouvi meus ossos emitir um crocante assustador...
O peso do mundo tinha descido dos meus ombros, o peso das dores do passado tinha finalmente descido no piso e ia ser usado como degrau...
Ela te disse mais alguma coisa?
Seus olhos lobunos me olharam expectantes e disse:
Há dores que carregam no coração e essas não há como tirá-las facilmente, aprenda a soltar o passado ou acabará afogando o seu futuro... e também compreende que a falta de perdão não machuca mais do que aquele que não pode perdoar.
 
Desconheço a autora
 
 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2023
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub