Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Anathema

"Todos elogiam o sonho, que é o descansar da vida. Mas é o contrário, Doutor. A gente precisa do viver para descansar dos sonhos"

Anathema

"Todos elogiam o sonho, que é o descansar da vida. Mas é o contrário, Doutor. A gente precisa do viver para descansar dos sonhos"

...

Anathema, 25.09.20

 

...

Anathema, 25.09.20

 

Eugénio de Andrade,
Ninguém cheira melhor
nestes dias
do que a terra molhada: é outono.
Talvez por isso a luz,
como quem gosta de falar
da sua vida, se demora à porta,
ou então passa as tardes à janela
confundindo o crepúsculo
com as ruínas
de cal mordidas pelas silvas.
Quando se vai embora o pano desce
rapidamente.
.
In "Ofício de Paciência" (1994
 

 

...

Anathema, 25.09.20

 

...

Anathema, 25.09.20
A imagem é pesada?
Mas sabe o que ela retrata? Essa arte retrata as mulheres que adoram se aventurar com homens de má índole,os mais bandidos,os mais violentos..o famoso "lobo mau". Mas sabe pq?
Pq é arriscado, dá mais adrenalina, é mais exitante..essas mulheres aceitam serem tratadas como plano B, aceitam ser usadas apenas para sexo e acham que isso é o máximo...mas sabe o resultado disso? Inúmeros filhos sem pai e inúmeras mães solteiras com menos de 18 anos de idade.
E onde está os homens românticos ?? Os poucos que restam,estão sendo dizimados por mulheres que dizem que romantismo está no passado,que pau grande é melhor que flores e que baile funk é melhor que jantar a luz de velas...
Vivemos em um mundo onde ser NOIADO é atraente e Andar Semi NUA é sinônimo de beleza.
Vou ser um eterno romântico e foda- se essa geração Nutella aonde a luxúria fala mais alto que o amor.
 
Autor : Brian Pacheco Silva
 

 

...

Anathema, 24.09.20

 

Aos 40 anos, Franz Kafka (1883-1924) que nunca se casou e não tinha filhos, passeava pelo parque de Berlim quando conheceu uma menina que chorava porque tinha perdido a sua boneca favorita. Ela e Kafka procuraram a boneca sem sucesso.
Kafka disse-lhe para se encontrar lá no dia seguinte, que eles voltariam atrás dela.
No dia seguinte, quando ainda não encontraram a boneca, Kafka deu à menina uma carta " escrita " pela boneca que dizia: "Por favor, não chores. Fiz uma viagem para ver o mundo. Vou-te escrever sobre as minhas aventuras."
Então começou uma história que continuou até o fim da vida de Kafka.
Durante os encontros, Kafka leu as cartas da boneca cuidadosamente escritas com aventuras e conversas que a menina achava adoráveis.
Finalmente, Kafka trouxe-lhe a boneca (comprou uma) que tinha voltado a Berlim.
"não se parece nada com a minha boneca"- disse a menina.
Kafka entregou-lhe outra carta em que a boneca escrevia: "as minhas viagens, mudaram-me." A menina abraçou a nova boneca e levou-a toda feliz para casa.
Um ano depois, Kafka morreu.
Muitos anos depois, a menina, já adulta, encontrou uma cartinha dentro da boneca. Na pequena carta, assinada por Kafka, dizia:
" tudo o que você ama provavelmente será perdido, mas no final o amor voltará de outra forma."

...

Anathema, 24.09.20

 

...

Anathema, 24.09.20

 

...

Anathema, 24.09.20

 

...

Anathema, 23.09.20

 

...

Anathema, 23.09.20