Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Anathema

"Todos elogiam o sonho, que é o descansar da vida. Mas é o contrário, Doutor. A gente precisa do viver para descansar dos sonhos"

"Todos elogiam o sonho, que é o descansar da vida. Mas é o contrário, Doutor. A gente precisa do viver para descansar dos sonhos"

...

Dezembro 23, 2018

Anathema

 

...

Dezembro 23, 2018

Anathema

 

SEM DEPOIS 
Mia Couto

Todas as vidas gastei
para morrer contigo.

E agora
esfumou-se o tempo
e perdi o teu passo
para além da curva do rio.

Rasguei as cartas.
Em vão: o papel restou intacto.
Só meus dedos murcharam, decepados.

Queimei as fotos.
Em vão: as imagens restaram incólumes
e só meus olhos
se desfizeram, redondas cinzas.

Com que roupa
vestirei minha alma
agora que já não há domingos?

Quero morrer, não consigo.
Depois de te viver
não há poente
nem o enfim de um fim.

Todas as mortes gastei
para viver contigo.

New Light

Dezembro 22, 2018

Anathema

 

...

Dezembro 21, 2018

Anathema

"Toda gentileza é uma declaração de Amor."

*Mia Couto




Esta menina a dançar

Dezembro 21, 2018

Anathema

 

...

Dezembro 17, 2018

Anathema

 

O amor, agora sei, é a terra e o mar se inundando mutuamente.

Mia Couto

...

Dezembro 16, 2018

Anathema

 

 

Feelings are just visitors. Let them come and go.

Mooji

...

Dezembro 13, 2018

Anathema

vês como fico pequena quando escrevo para ti? 
é por isso que eu nunca poderia ser poeta. 
o poeta se engrandece perante a ausência, como se a ausência fosse o seu altar, e ele ficasse maior que a palavra. no meu caso, não, a ausência me deixa submersa, sem acesso a mim.

este é o meu conflito: quando estás, não existo, ignorada. quando não estás, me desconheço, ignorante. 
eu só sou na tua presença. 
e só me tenho na tua ausência. Agora, eu sei. 
sou apenas um nome. 
um nome que não se acende senão em tua boca. (…)

nessa espera, aprendi a gostar de ter saudade. 
recordo os versos do poeta que diziam “eu vim ao mundo para ter saudade”. 
como se apenas pela ausência eu me povoasse interiormente. 
seguindo o exemplo dessas casas que só se sentem quando estão vazias. 
como esta casa que agora habito.

Mia

...

Dezembro 12, 2018

Anathema

 

 

Por que não escreveste nunca? Não é de te ler que mais tenho saudade. É o som da faca rasgando o envelope que trazia a tua carta. E sentir, de novo, uma caricia na alma, como se algures estivessem golpeando um cordão umbilical“ — Mia Couto

...

Dezembro 12, 2018

Anathema

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2023
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub