Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Anathema

"Todos elogiam o sonho, que é o descansar da vida. Mas é o contrário, Doutor. A gente precisa do viver para descansar dos sonhos"

...

03.07.22

...

02.07.22

...

30.06.22

 

...Adoro reticências…
- aqueles três pontos que insistem em dizer que nada está fechado, que nada acabou,
que algo está por vir!
A vida se faz assim… nada pronto, nada definido, tudo sempre em construção…
tudo ainda por se dizer… nascendo… brotando… sublimando… vivo assim… numa eterna reticência… pra que colocar ponto final?
O que seria de nós
sem a expectativa da continuação?
(ad)
 

...

30.06.22

...

29.06.22

 

Sou da geração que comeu Pensal, Farinha Amparo,Farinha 33 , leite com Toddy, papas de farinha Maizena, gemadas e óleo de fígado de bacalhau. Somos a geração que comia Bombocas, Tulicreme à colherada, barrávamos as Bolachas Maria com manteiga e comíamos papo-secos com marmelada e com manteiga e açúcar.
Sou de uma geração que comeu açúcar que se fartou!
As nossas festas de anos tinham sandes de fiambre e queijo, salada de frutas , mousse de chocolate e arroz doce .
Comíamos batatas fritas, guisados, fritos e estufados. Apesar disto, somos também uma geração que aprendeu a comer sopa, peixe cozido, legumes, e fruta a todas as refeições. Não havia comida especial para nós.
Nas férias grandes íamos para a praia, ou para a terra dos pais. Sou da geração que brincava na rua até à hora de jantar, e no Verão, ainda podíamos brincar depois dessa hora.
Saltávamos à fogueira nos Santos Popularese wueimavamos alcachofras
Andávamos de bicicleta e íamos a pé para a escola, sozinhos, ou com amigos, sabíamos a tabuada de cor e levávamos uma reguadadas do professor.
Tínhamos fisgas, e armavamos ao pisgo.
Só havia um canal de televisão e a família juntava-se a ver o TV Rural, a Cornélia, 1 2 3 com a sua bota botilde, Gente fina é outra coisa, Duarte e Companhia, os Jogos Sem Fronteiras, o Tarzan, o Bonanza, a Casa na Pradaria, o Sandokan e o Topo Gigio. Sou da geração dos Soldados da Fortuna, do Espaço 1999, do Dallas, da Balada de Hill Street, do Barco do Amor, da Fama, do Miami Vice, do Verão Azul , do Justiceiro e dos Pequenos Vagabundos . Sou da geração da Escrava Isaura , Gabriela-Cravo e Canela e da Vila Faia. Sou da geração, que viu os desenhos animados da Heidi e do Marco, e viu filmes em que as meninas eram princesas à espera do príncipe encantado. Somos da geração do Top Gun, do Oficial e Cavalheiro e da Lagoa Azul. Somos da geração que ligávamos para o Quando o telefona toca e pedíamos uma música, ouvíamos os Parodiantes de Lisboa e o Oceano Pacífico. Líamos o Falcão, o Major Alvega, o Olivier, Os Cinco, Os Sete, e tínhamos todos A minha Agenda.
Ainda sou do tempo em que os carros não tinham cinto de segurança, nem ar condicionado, dividiamos a gasolina e íamos a todo o lado.
Só tínhamos telefone fixo, não tínhamos Internet, mas sabíamos da vida de todos, e encontravamo-nos todos no café.
Ouvíamos Vinil, Cartucho, depois Cassetes. Jogávamos ao Monopólio, ao Sabichão, ao berlinde, ao ferro e ao peão. Sou da geração que fazía festas de garagem, frequentávamos as Matinés das discotecas e dancávamos slows. Sou da geração dos bichos da seda. Brincávamos aos Índios e Cowboys com pistolas a fingir e espadas feitas de pau de vassoura!
Carrinhos de esferas!
Bombinhas de Carnaval!
A nossa geração teve mães que faziam o que podiam, da melhor forma que sabiam, e não viam um papão em cada esquina. As nossas mães, eram as mães, que nos deixavam lamber a massa crua dos bolos, mas que diziam que comer bolo quente nos dava a volta à barriga...
Não havia Rock in Rio, mas vi Prince, Genesis, Supertramp, Dire Straits, Pink Floyd, Michael Jackson e por aí fora...
Estou a ficar cota... Sim, com muito gosto!
Que saudades desse tempo, que não volta. Mas tudo isto, ninguém me tira!
Todos temos o direito de ser Felizes, cada um à sua maneira!
 
Anedotas Quentes e Boas

...

28.06.22

 

Aprendi a me respeitar.
E ir embora de lugares que eu não deveria estar.
Aprendi a me levantar das quedas
que me fizeram chorar.
Aprendi a me amar, quando me fizeram acreditar que eu não precisava me respeitar.
E nem me cuidar. Durante muito tempo, fiquei acreditando que merecia pouco.
Acreditei que eu precisava sempre agradar aos outros.
A cada sim que eu dizia, eu falava não para o que realmente queria.
Meus planos ficaram esquecidos e demorei para perceber isso.
Mas o tempo me mostrou que sou eu quem dou o meu próprio valor.
Sou eu que respeito a minha dor.
Sou eu que luto por mim.
E eu não posso me abandonar assim.
A vida me ensinou que eu jamais posso deixar de ser quem eu sou.
Porque eu aprendi, com o tempo, a ser o meu próprio amor em qualquer lugar que eu for...
 
- Lua Lopes

...

28.06.22

 

Para refletir...
Você pode passar a sua vida inteira viajando, trabalhando, estudando. Pode passar sua juventude se divertindo, saindo com os amigos. Pode aprender inglês, francês e espanhol. Fazer o mestrado ou o doutorado dos sonhos. Almejar o mais alto cargo da sua classe. Você pode ler mil livros. Comer os melhores doces. Tomar os melhores vinhos. Você pode ver as paisagens mais lindas que existe nesse mundo. Você pode ter feito tudo o que teve vontade e sonhou, e tudo isso ficará marcado na sua história, como lembranças preciosas de quem viveu muito bem. Mas se ao final da vida, você não tiver alguém para quem contar suas melhores aventuras, rir com as mudanças físicas em suas fotos, preparar-lhe um café da tarde, segurar sua mão na hora da dor, sair correndo para comprar aquele remédio ou simplesmente esperar ansiosamente a sua volta para casa. Você pode ter vivido o que desejou, mas não viveu uma das grandes dádivas dessa vida, o amor♥️
 
 

...

28.06.22

...

27.06.22

...

26.06.22

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub